domingo, 15 de abril de 2012

E surge Bruno Senna


Quem tem acompanhado a Fórmula 1 nas últimas semanas, pode perceber uma esperança verde e amarela nessa temporada. Bruno Senna começou a mostrar para o mundo inteiro que tem potencial. Será que chegou a hora do Brasil ter novamente um grande piloto na modalidade máxima do automobilismo mundial? Continue Lendo a análise e tire suas conclusões.

Antes de falar do Bruno, preciso lembrar a vocês, meus leitores desocupados, algumas coisas sobre outros dois pilotos da Fórmula 1. Dois pilotos brasileiro, por sinal. É claro que falo de Felipe Massa e Rubens Barrichello.


Antes de mais nada, quem acha que Rubens Barrichello e Felipe Massa são maus pilotos, está redondamente engano e eu explicarei o motivo. Barrichello não se manteve por 19 temporadas na Fórmula 1 apenas por sorte, porque ninguém consegue ficar tanto tempo lá se for um piloto de merda. Barrichello´foi um dos pilotos que melhor sabia interagir com os engenheiros dentro da Fórmula 1, conhecendo cada carro como a palma da mão e sabendo que defeitos precisavam ser corrigidos. O problema é que Rubens Barrichello nunca teve garra, nunca teve culhões o suficiente para ser um campeão, um piloto brigando pelo título. E é por isso que ele, apesar de ser um bom piloto, não passa de um "segundo piloto", o cara que vai estar lá protegendo a retaguarda e consertando o carro do piloto principal. As chances de Barrichello na F1 acabaram, porque ele não tem dom para ser um piloto competitivo e é por isso que vai se aposentar correndo em círculos na Fórmula Indy. E Felipe Massa?

Felipe Massa tinha o que Barrichello não tinha: raça. Massa era um sujeito competitivo, além de ser um piloto muito talentoso. Não se engane pelas últimas corridas e tente forçar um pouco a memória, lá na temporada de 2008, quando Massa foi vice-campeão. Naquele ano, em que Hamilton levou o título na última corrida, Massa ficou apenas um ponto atrás do campeão e só não foi campeão por cagadas da Ferrari. Mas e depois? Depois, meus amigos e amigas, veio a mola do Barrichello. Veja no vídeo:






A mola do carro que Rubens Barrichello, que pesava cerca de 800g, bateu na cara de Felipe Massa, deixando o piloto inconsciente na hora. Na velocidade em que Massa se encontrava, por volta de 280km/h, a mola que o acertou causou um impacto equivalente a 150kg. Felipe Massa ficou em coma induzido e algumas semanas no hospital devido a mola assassina, que de alguma maneira, passou para ele parte do espírito derrotista de Rubens Barrichello. Desde o GP da Hungria em 2009, aonde aconteceu esse acidente, Felipe Massa nunca mais correu com garra, muito pelo contrário, ele parece ter medo de correr. Some isso as cagadas contínuas da Ferrari ao seu carro e ele ter como companheiro de equipe nada mais, nada menos, que Fernando Alonso e temos o Felipe Massa de hoje, em claro processo de Barrichellamento.

Pois bem, e Bruno Senna? Falei muito de Barrichello e Massa, está na hora de falar do Bruno. A primeira coisa que temos que levar em consideração é que Bruno Senna não é o tio dele. Tem um bando de filho de uma puta por aí, e são uns baita filhos da puta mesmo, dizendo para o Bruno "desistir, porque nunca será igual ao seu tio". Pessoas que dizem isso, por favor, vão tomar bem forte em seus respectivos cus. É claro que ele nunca será igual ao Ayrton Senna, assim como nunca será igual ao Alain Prost, Michael Schumacher ou Nelson Piquet. São pilotos diferentes, com características diferentes e correndo em condições diferentes. Não há como comparar.

Por favor, pare de ser babaca. Não compare Bruno com Ayrton.
Bruno carrega o peso do nome, o peso de todo o país em busca de um novo ídolo na F1 e o peso de um monte de asnos querendo que ele seja como o tio. Parem de tratar Bruno como um novo Ayrton ou alguém que nunca será como Ayrton. Tratem o rapaz apenas como Bruno.

Continuando, Bruno Senna mostrou que tem talento. Ele não ganhou nenhuma corrida ainda, é verdade, mas com o carro que tem ele já mostrou que sabe como pilotar. Nesse ano ele já conseguiu mais pontos sozinho do que Pastor Maldonado e Rubens Barrichello juntos no ano passado, quando os dois eram os pilotos da Williams. Bruno está mostrando ser um piloto constante e o que já lhe dá uns pontos a frente de seu companheiro de equipe, o venezuelano Pastor Maldonado. Quem viu os últimos GPs, sabe do que eu estou falando. Bruno andou a corrida inteira na entre grandes pilotos de grandes equipes e mesmo assim conseguiu se manter competitivo.


Bruno está começando a aparecer na Fórmula 1 e se continuar mantendo esse nível pelo resto da temporada, vai começar a chamar a atenção de grandes equipes. Será que ele vai ser o novo ídolo brasileiro na F1? Vamos parar com as comaprações bestas e começar a torcer por ele. E não somente por ele, mas por Massa também, que mesmo estando em uma má fase, ainda é brasileiro. Quando te bater o espírito derrotista e pensar que nossos pilotos são ruins, lembre-se do seguinte: a Argentina não tem nenhum piloto na F1.

Gostou do post? Então comente e curta O Bronco no Facebook!

24 comentários:

  1. Muito boa análise, concordo com tudo que tem ai..
    e sim, Bruno tem andado muito bem nesse começo de temporada
    e épico fim "a Argentina não tem nenhum piloto na F1" huauhauhauhuha

    ResponderExcluir
  2. Muito boa análise, mas alguns palavrões desnecessários tiram e credibilidade do texto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo comentário, Nekomata. Quanto aos palavrões, esse é meu jeito de escrever e eu não vou mudá-lo em busca de credibilidade. Quem gostar eu agradeço, quem não gostar que acesse o UOL.

      Excluir
    2. Questão de educação, não de jeito de escrever.

      Excluir
    3. Então se te ofende, basta não ler. Ah não! Espere! Eu estou OBRIGANDO você a ler a análise. Mil perdões.

      Excluir
  3. Muito bom o texto, inclusive com os palavrões. O Nekomata e seu pudor que vão tomar no cú. Melhor que a citação da ausencia de pilotos argentinos na F1, só mandando neguinho (e branquinho - pra nao dizerem que é racismo)ler o UOL.

    ResponderExcluir
  4. Parabéns pelo texto! Faça uma coluna de F1, ou um blog a respeito!! sei que da trabalho, mas se continuar com essa linha de analítica, é tudo que precisamos (Posso ajudar com algumas coisas).!

    ResponderExcluir
  5. Vai te foder tu não sabe nada de formula 1.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aham. Agora volte a colorir seu caerninho.

      Excluir
  6. Bom o texto, a análise e os palavrões! Somos, além de torcedores, amantes da F1. Precisamos aprender a analisar de forma fria e respeitosa, mas não podemos deixar de ter o calor de um bom torcedor! Os críticos que mal sabem o que falam merecem ser xingados com belíssimos palavrões, como os citados no texto. Força para os brasileiros nesse ano, que promete!

    ResponderExcluir
  7. Muito bom o artigo, eu acredito no Bruno, estou começando a gostar de assistir a formula 1 de novo.

    ResponderExcluir
  8. Nunca será um grande piloto.
    Só pode ser parente do cara.

    ResponderExcluir
  9. Infeliz análise principalmente quando leva em conta o comparativo dos pontos marcados pela dupla da Willians do ano passado em relação a esse ano.
    Ainda por cima, sem considerar as grandes mudanças de regulamento, a diminuição dos espaços deixado entre os carros durante as corridas e ainda, como tudo na F1, ninguém sabe até que ponto o carro as soluções do ano passado foram utilizadas nesse ano...

    E quem não garante que essa Willians não tem um dedo do Rubens???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Rubens sabe muito bem como regular um carro, eu não duvidei da capacidade dele. Acontece que ele escolheu ser sempre o segundo piloto.

      Excluir
  10. Essa história de que se tem palavrão perde a credibilidade, é uma puta hiprocrisia de gente alienada que está totalmente envolvida pelo maldito politicamente correto. É como um ataque ad hominem, se o sujeito vai mal em matemática, logo ele é um burro e não deve entender nada de biologia também, tem lógica isso?? As pessoas precisam desenvolver muito ainda a lógica e o senso crítico, para saber separar aquilo que é importante do que é secundário. Você pode até não concordar com a atitude e o linguajar de alguém, mas isso não te tira a obrigação de analisar a coerência da argumentação. Com palavras muito bonitas e educadas, eu posso falar as maiores asneiras e ofensas que um puritano merece ouvir.

    ResponderExcluir
  11. Sinceramente... Fanatismo tem limites.

    Diz quantos títulos o Bruno Senna tem na F3? Diz quantas vitórias? Quantas poles? Dá pra juntar tudo isso e contar nos dedos, e quase usando uma mão só.

    Lucas Di Grassi merecia muito mais um carro nessa temporada, tem mais experiência e credenciais de bom piloto. Já foi campeão nas bases do automobilismo.

    Aquele garoto, o Nasr, também tem futuro. Muleque pilota muito.

    Agora, verdade seja dita. Bruno só tá onde tá por causa de patrocínio e do sobrenome.

    ResponderExcluir
  12. Não concordo. Estude mais.

    ResponderExcluir
  13. Apesar dos palavrões, mas ta valendo. Vamos torcer pelo Bruno, e ja que o talento é algo unico de cada um, espero que ele tenha herdado pelo menos a paixão de pilotar do tio, tal paixão era o ponto principal que diferenciava Senna de qualquer outro piloto, corria de corpo e alma.

    ResponderExcluir
  14. Ótima análise...eu penso como vc, não se pode querer que ele seja o tio...mas confesso que não vejo a hora de ouvir o Galvão gritar Bruno Senna do Brasil!!! só de pensar meus olhos sem enxem de lagrimas...

    ResponderExcluir
  15. Primeiramente parabéns pelo texto, gostei muito... O que tenho a comentar é o seguinte; Acho que vc foi perfeito na sua análise sobre o Massa, quando ele foi para a Ferrari eu pensei que teríamos um campeão, mas pelo jeito me enganei, por que por mais que a Ferrari lhe dê o melhor carro do grid, ou mesmo que ele vá para uma outra grande equipe ele não conseguirá ser o mesmo...

    Sua análise do Rubinho também é coerente, apesar dele ser, na minha humilde opinião, um dos pilotos mais técnicos da história da F-1 ele fez as escolhas erradas, e nunca teve atitudes na pista de campeão, foi uma grande decepção...

    Chegamos ao Bruno, e ai acho que sua análise foi mais emocional do que técnica. Até acho ele um bom piloto, mas tem que provar muito mais. Ano passado ele só foi REALMENTE bem na primeira prova que disputou, e esse ano ele está se mostrando um bom piloto, e só... Penso que o Di Grassi estaria em melhores condições de ser o piloto brasileiro n°1 fa F-1, mas eu torço enormemente para que o Bruno cresça cada vez mais, que ganhe provas e que seja campeão...

    Abraços...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que o Bruno está em processo de evolução, ele é um bom piloto, mas ainda precisa amadurecer bastante. Obrigado pelo comentário, continue acompanhando.

      Excluir

- Gostou do conteúdo? Beleza, broto, vai com Jesus e volte sempre. Não gostou? Então clique aqui

- Cuidado! O bagulho aqui é bronco, mas não é bagunça. Lembre-se que a responsabilidade por SEU comentário é somente SUA.

- O Bronco está aberto a críticas construtivas.

- Os comentários são moderados porque tem um monte de zé ruela que vem só pra postar propaganda, não comenta nada sobre o post.

- Evite post com caps lock. É HORRÍVEL LER COISAS ESCRITAS ASSIM, COM CAPS LOCK.

- Procure ver o post completo antes de comentar.

- Veja também nossas outras postagens.

- Evite comentar como anônimo para facilitar na identificação de quem é quem. Isso ajuda na hora de responder comentários.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Orkut Twitter Facebook Tumblr Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Powerade Coupons | Edited by Natan Morais